Foto: Bernardo Souza – ASCOM/PMCH

Com investimento de R$ 2 milhões do governo federal, a 16ª Estação Cidadania do País foi inaugurada em Charqueadas, na região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O equipamento, que reúne atividades culturais, esportivas e de assistência social, foi entregue à comunidade nesta quinta-feira (12).

A unidade, localizada no bairro Sul América, conta com telecentro, anfiteatro, Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e uma biblioteca com mais de dois mil exemplares. Parte da estrutura conta com acessibilidade para pessoas com deficiência: são 400 títulos disponíveis em braile e audiolivros. Ao ar livre, há equipamentos de ginástica, parque infantil, quadra poliesportiva e pistas de skate e caminhada. Os moradores também já têm acesso a aulas de dança, prática de vôlei e oficinas de violão e teatro.

Presente na inauguração da Estação Cidadania, o secretário de Infraestrutura Cultural da Secretaria Especial da Cultura, Rodrigo Junqueira, destacou os benefícios sociais do equipamento. “É indiscutível a importância social e cultural de um equipamento como esse. Estudos feitos pela Universidade Federal de Pernambuco comprovam que, após a instalação do equipamento, vários indicadores melhoram. Há redução da violência, por exemplo. É a demonstração da importância que o governo federal dá ao desenvolvimento sociocultural do país”, enfatizou.

O prefeito de Charqueadas, Simon Heberle, reforçou que a Estação Cidadania ainda vai promover mais integração entre a comunidade e o poder público. “Charqueadas tem um pouco de dificuldade de infraestrutura para oferecer à comunidade um lugar integrado, onde se trabalhe cultura, educação, assistência social e saúde. A Estação Cidadania vem com essa intenção”, afirma. O administrador destacou o trabalho já realizado com a população local, “fazendo com que a comunidade de três bairros próximos ao espaço se apoderem do espaço e tragam para ali as ações que são executadas nesses bairros, fortalecendo o vínculo da comunidade com o ente público e fazendo com que as coisas tenham um resultado positivo para a população”.

A gestão das Estações Cidadania é compartilhada entre as prefeituras e a comunidade. Nesse sentido, as decisões que envolvem o equipamento são tomadas por um grupo gestor. Para o morador do bairro Sul América e presidente do grupo local, Marcelo Lombardi, a Estação pode estimular o progresso de jovens que estão sem perspectivas.

“A minha vida toda foi passando no local onde hoje está instalada a Estação Cidadania, que antigamente era um campo aberto, de futebol, que ora se jogava, ora não. É muito importante [essa infraestrutura] porque muda o cotidiano de todo aquele entorno. Eu acho que o que mais vai impactar ali, realmente, é a possibilidade de pessoas se inspirarem no espaço para mudar as suas vidas, principalmente parte da comunidade, que são os jovens”, disse Lombardi.

Desde o início do ano, o governo federal investiu R$ 30 milhões nas dezesseis Estações Cidadania espalhadas pelo País.


Fonte: Cultura