<a href=”http://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2019/12/11/lizzo-artista-do-ano-revista-time/”><div class=”media_box full-dimensions660x360″>

<div class=”edges”>
<img class=”croppable” src=”https://img.r7.com/images/lizzo-11122019172647383?dimensions=660×360″ title=”Lizzo” alt=”Lizzo” />
<div class=”gallery_link”>
</div>

</div>
<div class=”content_image”>
<span class=”legend_box “>Lizzo</span>
<span class=”credit_box “>Tenho Mais Discos Que Amigos</span>
</div>
</div>

</a>Foto: Luke Gilford Olha só que poder! <strong>Lizzo</strong>, cantora de hits como ‘Truth Hurts’ e ‘Juice’, foi eleita pela revista <strong>Time</strong> como a Artista do Ano.

O resultado saiu nesta quarte-feira (11), e vem após um ano de muito crescimento para a artista. Apesar de estar na cena desde 2013, foi em 2019 que Lizzo realmente bombou no mainstream, lançando o ótimo <em><strong>Cuz I Love You</strong> </em>em abril.

Em entrevista à revista (via <a href=”https://www.papelpop.com/2019/12/lizzo-e-eleita-artista-do-ano-pela-revista-time/” target=”_blank”>Papel Pop</a>), a cantora declarou:
Eu faço música positiva há muito tempo. Então a cultura mudou. Havia muitas coisas que não eram populares, mas existiam, como o movimento body positivity, que a princípio era uma forma de protesto por corpos gordos e mulheres negras, e agora se tornou uma coisa comercial e moderna. Agora eu já vi isso chegar ao mainstream. De repente eu sou mainstream! Como poderíamos ter adivinhado que algo assim aconteceria quando nunca vimos algo assim antes?
Faz sentido, não é? A Time também rasgou elogios à moça, dizendo:
[Suas músicas são] impossivelmente chicletes. [Elas] são engraçadas, ousadas e vulneráveis. Em 2019, Lizzo era um feixe de luz brilhando através da destruição e da escuridão, nos dizendo para nos amarmos, mesmo que o mundo nem sempre nos ame de volta. Nós precisávamos dela.
Lizzo e seu corpo
Na publicação, a cantora ainda falou sobre sua relação com a própria imagem e a importância de uma mulher gorda e negra fazendo sucesso. Apesar de hoje estar muito confortável, ela deixou claro que nem sempre foi assim.
Acho que é saudável ter um relacionamento com seu corpo nu, mesmo que ninguém nunca o veja. Mas sempre senti a necessidade de compartilhá-lo.

De março até… agora! Eu estava me sentindo um pouco infeliz. Eu não estava feliz com o que sentia sobre meu corpo. Não me sentia sexy e não sabia quando isso terminaria. Havia momentos em que eu subia no palco e pensava ‘Gente, não vou mentir. Não estou me sentindo bem’. Às vezes, eu desmoronava e chorava. Às vezes, o público apenas gritava para me fazer sentir melhor. Eu estava ficando muito doente. Eu ficava tipo, o que diabos está acontecendo? Eu preciso me apaixonar novamente pelo meu corpo.
Parabéns, Lizzo!
Fonte: r7 Music