Utilizar os meios e produtos culturais para divulgar a ciência, despertando em crianças e jovens o interesse pelo universo científico. Essa é uma das estratégias estudadas pela Secretaria Especial da Cultura em possível parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia. A medida quer promover a maior aproximação do público e difundir temas correlatos entre as duas áreas. O assunto foi tratado durante reunião, nesta terça-feira (10), entre o secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, e o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do Ministério da Ciência e Tecnologia, Marcelo Morales. A criação de um edital para produção em diversos segmentos culturais, como cinema, teatro e exposições, cujo tema seja a ciência, é um dos recursos possíveis.

O secretário Alvim também sugeriu a produção de uma série audiovisual, cujos episódios contem a vida de cientistas brasileiros. “Nós podemos levar a beleza épica que foi a vida desses cientistas, já que muitos deles tiveram existências quase heroicas. E estimular nas crianças e nos jovens o interesse pela ciência”, concluiu.

Morales acredita que a ciência leva o país a outro patamar. “Há pesquisas e estudos científicos que trazem impactos profundos para nossa sociedade e que não são divulgados”, disse. O secretário citou o exemplo da engenheira agrônoma e pesquisadora da Embrapa, Johanna Döbereiner (1924-2000). Em suas pesquisas, ela descobriu uma bactéria que fixa o nitrogênio no solo. Hoje, a descoberta faz com que o Brasil poupe mais de R$ 14 bilhões em importações de fertilizantes à base de nitrogênio. “São essas histórias, que mostram a importância da ciência, que queremos contar”, destacou.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura


Fonte: Cultura