<a href=”http://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2019/11/29/marc-jacobs-processa-nirvana/”><div class=”media_box full-dimensions660x360″>

<div class=”edges”>
<img class=”croppable” src=”https://img.r7.com/images/logo-nirvana-29112019034318223?dimensions=660×360″ title=”Logo Nirvana” alt=”Logo Nirvana” />
<div class=”gallery_link”>
</div>

</div>
<div class=”content_image”>
<span class=”legend_box “>Logo Nirvana</span>
<span class=”credit_box “>Tenho Mais Discos Que Amigos</span>
</div>
</div>

</a>Logo oficial do Nirvana. Foto: Divulgação Parece que o estilista <strong>Marc Jacobs </strong>está querendo arrastar ao máximo o imbróglio com o <strong>Nirvana</strong>.

Em Novembro do ano passado, a marca lançou uma linha de roupas chamada <em>Bootleg Redux Grunge</em>. Uma das camisetas da coleção contém uma parte da famosa logo do<em> smiley </em>— veja acima – e, ao invés do nome da banda, lê-se “Heaven” e as siglas da grife. No processo, o Nirvana pontua que registrou a imagem em 1992 e diz que a Marc Jacobs fez uma “cópia barata” da arte, como te contamos <a href=”http://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2018/12/29/nirvana-processa-marc-jacobs/” target=”_blank”>por aqui</a>.

<strong>Dave Grohl</strong>, <strong>Krist Novoselic</strong>, <strong>Courtney Love</strong> e <strong>Frances Bean Cobain </strong>foram <a href=”http://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2019/05/10/nirvana-courtney-love-testemunho-grife/” target=”_blank”>chamados como testemunhas </a>pela própria grife. Isso porque quem está processando o cara é a Nirvana LLC, empresa que detém os direitos de marca e que tem como dona uma companhia da qual Love é sócia.

O problema é que, pelos relatos deles, parece que ninguém sabe quem, de fato, surgiu com o icônico <em>smiley</em>. Por isso, Marc resolveu entrar com seu próprio processo.
Marc Jacobs e Nirvana
Segundo informações do <em>The Hollywood Reporter </em>(via <a href=”https://consequenceofsound.net/2019/11/marc-jacobs-countersues-nirvana-kurt-cobain-smiley-origins/” target=”_blank”><em>Consequence of Sound</em></a>), o novo documento diz:
A aparente ausência de qualquer pessoa viva com conhecimento em primeira mão dos supostos direitos autorais do trabalho em questão, juntamente com inúmeras outras deficiências no Registro 166 que é a base para o pedido de infração do Nirvana são a base desta alegação contrária.
A alegação está disponível na íntegra (em inglês) <a href=”https://www.documentcloud.org/documents/6561801-MJacobs.html” target=”_blank”>por aqui</a>. Que confusão, hein?
Fonte: r7 Music