Foto: Mauro Vieira

Porto Alegre/RS – Ações de promoção ao desenvolvimento humano, estratégias para a alavancar a economia criativa e investimento no turismo religioso na região das Missões Jesuíticas (RS) estiveram em debate na 34ª Reunião de Ministros e Autoridades de Desenvolvimento Social e na 46ª Reunião de Ministros de Cultura do Mercosul. No encontro ocorrido nesta terça-feira (12), o ministro da Cidadania, Osmar Terra, transmitiu a presidência Pro Tempore do Mercosul ao ministro da Cultura do Paraguai, Rubén Capdevila.

As reuniões foram realizadas no Palácio Piratini, em Porto Alegre (RS), com a presença de ministros e representantes dos países do bloco – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. A certificação das Missões Jesuíticas Guaranis, Moxos e Chiquitos como Patrimônio Cultural do Mercosul foi uma das pautas de destaque. A entrega do Dossiê da Tava, que oficializa o título, foi feita na segunda-feira (11), em evento em São Miguel das Missões (RS). Os ministros do Mercosul participaram da atividade, que envolveu visita ao sítio arqueológico de São Miguel de Arcanjo onde ocorre, ao ar livre, uma exposição artística que narra a história dos Sete Povos das Missões.

Na solenidade no Piratini, ao relatar ações realizadas durante os seis meses como Pro Tempore do Mercosul, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, reforçou o potencial cultural, turístico e econômico que investimentos à região podem gerar. “São sete Missões Jesuíticas no Brasil, mas ao todo são 30 que incluem cinco países: Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia e o Brasil, que com esses países forma um conjunto extraordinário de acervo histórico. Essa história merece ser contada e, ao contá-la, há um potencial enorme de gerar turismo, emprego e renda”. E concluiu: “É um casamento da área histórica, de turismo e economia criativa. É muito importante que a população conheça”.

Após receber a presidência Pro Tempore do Mercosul, em ato simbólico, o ministro da Cultura do Paraguai, Rubén Capdevila, destacou como prioridades o investimento no mercado audiovisual e a importância de fomentar a economia criativa. Ele elogiou as atividades de Terra enquanto Pro Tempore. “Assumimos com o compromisso de continuar as ações iniciadas pelo Brasil, dando ênfase também a outros projetos. Manteremos a linha de proteção ao patrimônio histórico e proteção ao patrimônio cultural regional como o projeto de rota das Missões, que é um projeto tão importante iniciado pelo Brasil. Também queremos promover a interação dos mercados da indústria criativa da região”, pontuou.

Legado Pro Tempore Brasil

Entre as ações realizadas pelo governo brasileiro durante o período da Presidência Pro Tempore, iniciado no dia 17 de julho deste ano, está a Certificação das Missões como Patrimônio Cultural do Mercosul, a entrega do Dossiê da Tava – que reúne informações que levaram ao reconhecimento deste bem, e a realização da “Exposição 7 Povos: Retrato de um Território”, promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cidadania. Ainda no semestre, a Reunião de Ministros e Autoridades de Desenvolvimento Social elaborou um plano de trabalho para os próximos dois anos, centrado em quatro temas: fortalecimento dos sistemas nacionais de proteção e desenvolvimento social, promoção da inclusão de jovens, fomento ao desenvolvimento integral de crianças na primeira infância e inovação e sistema de informação social.

Além disso, o Instituto Social do Mercosul (ISM) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) estão elaborando projeto chamado “Juventudes e Fronteiras Mercosul: Como é Crescer na Fronteira?”. O objetivo da ação é identificar o perfil de adolescentes e jovens que vivem na fronteira, baseado em critérios como quantidade, escolaridade, acesso ao mercado de trabalho e serviços de saúde, entre outros.

Das atividades das Comissões relacionadas à Cultura, as pautas comuns foram a atualização do Protocolo de Integração Cultural do Mercosul e a revisão da Estrutura Orgânica e do Regulamento Interno do Mercosul Cultural, com o objetivo de reavaliar prioridades e racionalizar a estrutura.

Pertencimento pela Cultura

O secretário Especial da Cultura, Ricardo Alvim, participou do encontro em Porto Alegre (RS). Em fala, disse estar muito feliz e ter boa relação com os países, com vivências no Uruguai e na Argentina. “É uma alegria estar nessa rede que o ministro Osmar Terra iniciou e dar continuidade a isso. O projeto da transformação das Missões Jesuíticas em espécie de tour religioso, que una também os países do Mercosul, é uma ideia fantástica. Será dada seguimento a ela”, afirmou.

Alvim realizou uma apresentação aos ministros que traz a proposta de criar um circuito de artes do Mercosul, que incluiria a circulação de teatro, música, artes visuais e literatura pelos quatro países que integram o bloco. “Unir esses países através da Cultura de cada um deles vai criar, eu acredito, uma sensação de pertencimento a esse Mercosul”, defendeu.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, recebeu os ministros e representantes do Mercosul, no Palácio Piratini. Em fala na abertura do encontro, Leite cumprimentou a todos e disse estar honrado com a escolha de realizar as reuniões no local. “Estar aqui entre vocês é um grande aprendizado, uma troca de experiência. Cada país tem a sua peculiaridade, mas guarda desafios comuns. É um prazer, especialmente, recebê-los para tratar de um tema que envolve Cultura”, declarou.

Comitiva

Acompanharam o ministro da Cidadania, a secretária especial do Desenvolvimento Social adjunta, Neusa Kempfer, e a Chefe da Assessoria Especial de Assuntos Internacionais do Ministério da Cidadania, Carla Barroso.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa


Fonte: Cultura