Dexter Holland, do Offspring, em São Paulo, 2019

Dexter Holland, do Offspring, em São Paulo, 2019
Tenho Mais Discos Que Amigos

Foto por TMDQA! / Aline Krupkoski The Offspring e Bad Religion são dois dos nomes mais importantes na história do Punk Rock mundial.

Tendo, as duas, suas origens ligadas à Califórnia, as bandas têm muito em comum desde as cenas em que se desenvolveram até conexões como a lendária gravadora Epitaph e o fato de que elas foram fundamentais para uma nova explosão do gênero nos Anos 90.

(Fotos por TMDQA! / Aline Krupkoski)

Pois ontem (29), Bad Religion e Offspring se apresentaram juntos em São Paulo e não apenas trouxeram suas guitarras afiadas ao Espaço das Américas, como também vieram com todo calor californiano junto.

 
Bad Religion

Bad Religion em São Paulo, 2019

Bad Religion em São Paulo, 2019
Tenho Mais Discos Que Amigos

Foto por Aline Krupkoski / TMDQA!

O Espaço das Américas é uma grande casa de shows localizada na Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, e com todos os ingressos vendidos há um bom tempo, o local ficou completamente preenchido em uma das noites mais quentes do ano que teve sua temperatura aumentada ainda mais assim que o Bad Religion tomou o palco.

A lendária banda liderada por Greg Graffin parece tocar como uma verdadeira Orquestra Punk Rock, com seus integrantes alinhadíssimos e uma exibição impecável que mistura toda a técnica dos seus integrantes com o vigor de um estilo tão ligado às rápidas batidas, guitarras distorcidas e baixos ferozes.

É bom lembrar, aliás, que estamos falando de uma banda cujos integrantes todos já ultrapassaram os 50 anos de idade, com exceção do baterista Jamie Miller, adição à banda em 2015.

Greg Graffin, do Bad Religion em São Paulo, 2019 - Fuck You

Greg Graffin, do Bad Religion em São Paulo, 2019 – Fuck You
Tenho Mais Discos Que Amigos

Foto por Aline Krupkoski / TMDQA!

Mesmo encaminhando-se para os seus 60, os caras do Bad Religion não param por um minuto, e o show em São Paulo foi uma sequência de 25 canções que se conectavam entre elas e, quando havia pausas, se conectavam através de falas de Graffin traçando paralelos entre os nomes das canções e fatos da banda.

Por exemplo, ele brincou algumas vezes dizendo que mal acreditava que já estávamos chegando a 25 anos desde que a banda tocou no Brasil pela primeira vez, o que parecia ‘Stranger Than Fiction’. Além disso, ainda falou que a banda sempre gosta de voltar pra cá e, no que depender deles, irá fazer shows no Brasil até o ‘End Of History’.

A lendária ’21st Century (Digital Boy)’ abriu os trabalhos e a igualmente importante ‘American Jesus’ fechou o show, e entre elas vieram pérolas como ‘Generator’, ‘Los Angeles Is Burning’, ‘I Want To Conquer The World’, ‘Fuck Armageddon… This Is Hell’, ‘Sorrow’ e ‘Infected’, a mais celebrada da noite.

Foi um passeio sensacional por quase todas as fases de uma das bandas mais importantes, mais concisas e mais completas de todo planeta.


Setlist – Bad Religion
21st Century (Digital Boy)
Fuck You
Anesthesia
Chaos From Within
Stranger Than Fiction
The Dichotomy
Recipe for Hate
End of History
The Handshake
I Want to Conquer the World
New Dark Ages
Lose Your Head
Automatic Man
We’re Only Gonna Die
Modern Man
Infected
You
Overture
Sinister Rouge
Generator
Do the Paranoid Style
Los Angeles Is Burning
Sorrow
Fuck Armageddon… This Is Hell
American Jesus

 
The Offspring

Noodles, do The Offspring, em São Paulo

Noodles, do The Offspring, em São Paulo
Tenho Mais Discos Que Amigos

Foto por TMDQA! / Aline Krupkoski