A jornalista Letícia Dornelles foi nomeada, nesta sexta-feira (25), como a nova presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), vinculada ao Ministério da Cidadania. A apresentadora de TV, roteirista e escritora acumula uma carreira de mais de 30 anos dedicada à cultura. O cargo na entidade pública foi visto como uma honra por Dornelles: “É uma honra assumir esse cargo. Eu serei uma guardiã da cultura no Rio de Janeiro e no Brasil”.

Gaúcha de Uruguaiana, ela chega à Casa de Rui Barbosa com projetos para fazer com que a instituição, uma das mais tradicionais do País, seja cada vez mais divulgada. “A Casa de Rui Barbosa precisa ser conhecida para além dos limites de Botafogo, a instituição e a importância de seu acervo precisam ser reconhecidos em todo o Brasil e no mundo também”, comenta.

Um dos pontos de partida é o resgate da imagem e da memória do próprio Rui Barbosa. Conhecido como Águia de Haia, Barbosa foi um escritor, jurista, político e diplomata brasileiro, que ganhou fama em todo o mundo pela clareza e coerência de seu pensamento, retratado em discursos memoráveis. Segundo Dornelles, que estudou amplamente sua biografia, “ele pensava questões que hoje são cruciais, muito antes de estarmos vivendo esta época. Então ele é um homem atemporal, como é típico de grandes pensadores”.

Seguindo as tendências internacionalistas de Barbosa, um dos projetos da nova presidente da FCRB é a promoção de intercâmbio com pesquisadores de todo o mundo. A ideia é trazer nomes de cientistas e pesquisadores que estejam inovando e “fazendo o mundo rodar”, para que possam compartilhar suas descobertas, além de conhecer com mais profundidade a pesquisa brasileira. Ainda nessa linha, Dornelles pretende fazer parcerias com casas de cultura e embaixadas brasileiras, para importar e exportar produtos culturais.

Acesso facilitado para todos

Dentre os principais tesouros da FCBR, além dos arquivos do próprio Rui Barbosa, estão coleções de manuscritos de Clarice Lispector e Carlos Drummond de Andrade. Dornelles quer dinamizar o processo de digitalização dessas obras, além de modernizar o site da instituição, de forma que qualquer pessoa tenha acesso facilitado a bens de valor inestimável.

Com a modernização da página, Dornelles quer que o acesso aos acervos da FCRB também seja facilitado. Ela exemplificou com o site do Louvre, na França, onde é possível contemplar as obras como se estivesse andando nas salas do próprio museu. Outra preocupação da nova presidente é a acessibilidade. Tradução simultânea em libras e versões em braile são algumas das alternativas que Dornelles pretende utilizar para fazer com que as atividades sejam acessíveis: “A nossa posição é de inclusão social”.

Mais que uma casa, um lar

Entre outros projetos, Dornelles também tem planos para o teatro e os jardins da Casa, que já até serviram de cenário para gravação de novelas de época. Além dos saraus e recitais, ela também deseja fazer jardins sensoriais. “Queremos que, mais uma casa, seja um lar, já que foi aqui que Rui Barbosa morava com sua família”, conclui.

Localizada no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, a Fundação Casa de Rui Barbosa é uma instituição pública federal que oferece um espaço reservado ao trabalho intelectual, à consulta de livros e documentos e à preservação da memória nacional.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412


Fonte: Cultura