O Instituto
do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) abre a semana com duas
novas exposições. Em Porto Alegre (RS), ‘7 Povos: Retrato de um Território’ exibe
fotos, vídeos e outros materiais do território das Missões Jesuíticas-Guarani.
No Rio de Janeiro (RJ), a mostra ‘Arte do barro, arte na vida’ reúne peças de
ceramistas da cidade de Caraí (MG), município mineiro do médio Jequitinhonha.
Na capital paulista, o destaque é a participação da Cinemateca Brasileira na
programação da 43ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo – no
contexto da mostra, a Cinemateca ainda comemora o Dia Mundial do Patrimônio
Audiovisual, celebrado em 27 de outubro. Confira a programação completa:

CINEMATECA BRASILEIRA

43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Até 27/10
Endereço: Cinemateca Brasileira – Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – São Paulo (SP)
A Cinemateca Brasileira, historicamente, integra o circuito das salas de exibição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Tradicional evento da cidade, a 43ª edição da Mostra apresenta um rico painel da produção mundial contemporânea, em competição, além de estreias, homenagens e programas retrospectivos. Em comemoração ao Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual, a Cinemateca e a 43ª Mostra realizam, no dia 27 de outubro, a exibição gratuita do Programa “Méliès e Primórdios do Cinema Brasileiro” no vão-livre do MASP. A sessão contará com acompanhamento musical ao vivo e reúne curtas restaurados de Georges Méliès e animações pioneiras, Macaco feio… macaco bonito (1929) e Frivolitá (1930), ambos dirigidos por Luiz Seel. Os ingressos das sessões seguem o preço proposto pela Mostra.
Mais informações

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN)

Foto: Oscar Liberal/Iphan

Mostra ‘Arte do barro, arte na vida’
Até 24/11
Endereço: CNFCP – Rua do Catete, 179 – Rio de Janeiro (RJ)
A arte em barro do Vale do Jequitinhonha (MG) e os saberes e ofícios a ela relacionados são tema de nova exposição na Sala do Artista Popular (SAP) do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (CNFCP-Iphan). A mostra Arte do barro, arte na vida – Caraí, MG, reúne peças de autoria de familiares de dois reconhecidos ceramistas da região: Noemisa Batista Santos (1947) e Ulisses Pereira Chaves (1924-2006). Da família de Ulisses estarão expostas, entre outras obras, as máscaras e cabeças produzidas por seus filhos, Margarida Pereira Silva e José Maria Alves da Silva, e as cenas modeladas por sua neta Rosana Pereira Silva, em que sobressaem o diálogo com o avô, o encanto dos contos populares e dos filmes de animação. Já da família de Noemisa, estarão as bonecas de sua irmã Geralda Batista dos Santos, desde as que guardam na forma a moringa àquelas que retratam o cotidiano. Assim, a SAP abre suas portas para o legado da transmissão de saberes desses artistas. Caraí, município mineiro do médio Jequitinhonha, região marcada pela alternância entre períodos de seca e de chuva e pela pequena produção agrícola, passou a se destacar também pelo trabalho de gerações de mulheres que dominavam a arte em barro, conhecidas como paneleiras. Com o tempo, as peças produzidas para uso cotidiano e feiras locais foram dando espaço a uma produção mais singular e voltada para o mercado urbano. Foi nesse contexto, a partir dos anos 70, que se evidenciaram as obras de Noemisa e Ulisses.
Mais informações

Exposição ‘7 Povos: Retratos de Um Território’
De 24/10 e 24/01/2020
Endereço: Memorial do Rio Grande do Sul – Rua 7 de Setembro, 1020 – Porto Alegre (RS)
Uma experiência interativa que faz o visitante viajar pela história e caminhos dos Sete Povos das Missões. Essa é a proposta da exposição 7 Povos: Retratos de Um Território, que traz fotos, vídeos documentários, painéis, mapas interativos, documentos antigos, conteúdo de arte-educação e muito mais. São obras que despertam os sentidos e provocam uma verdadeira viagem pelo território das Missões Jesuíticas-Guarani e sua paisagem cultural, com bens culturais reconhecidos como Patrimônio Cultural Brasileiro, do Mercosul e Mundial. No dia 24 de outubro, Porto Alegre será a primeira cidade a receber a exposição, que em 2020 irá itinerar para o Rio de Janeiro e Montevidéu, no Uruguai. O local escolhido para receber a mostra foi o Memorial do Rio Grande do Sul, reconhecido pela arquitetura imponente no centro da capital gaúcha. São Miguel das Missões (RS) também receberá a mostra ainda em 2019, com a previsão de abertura em novembro. A iniciativa brasileira idealizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) faz parte de um projeto de cooperação internacional, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores. Com a curadoria de Cláudia Ardións e projeto expográfico de Suzane Queiroz, 7 Povos desbrava o território das Missões, sua geografia, história, vida sociopolítica e cultural. Conta a narrativa da ocupação da região, desde mapas antigos até o momento atual – como se formou e no que se tornou o território das Missões, no Rio Grande do Sul. A exposição 7 Povos aproxima moradores e visitantes dos bens que constituem o Patrimônio Cultural missioneiro. As fotos tomam vida em realidade aumentada em tablets e celulares, em que o observador ultrapassa o plano da fotografia e é levado para a cena em movimento, com sons e texturas. O público pode transitar pelos caminhos dos Sete Povos das Missões Jesuíticas-Guarani, em mesas digitais interativas que exploram, em detalhes, a cartografia do território. A mostra conta, ainda, com um espaço educativo para crianças, com jogos e atividades formulados especialmente para o público infantil, com liga-pontos digital das línguas faladas na região das Missões, jogos da memória e quebra-cabeças sobre esta rica paisagem cultural.
Mais informações

FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES (FUNARTE)

Espetáculo de Dança ‘Retrópica’
19 e 20/10
Endereço: Teatro Cacilda Becker – Rua do Catete, 338 – Rio de Janeiro (RJ)
O Teatro Cacilda Becker, no Catete, na Zona Sul do Rio, recebe o espetáculo de dança Retrópica, nos dias 19 e 20 de outubro. A direção e a performance são assinadas pela coreógrafa Mari Paula. A montagem foi contemplada com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna. A montagem estreou em 2017 e foi apresentada por mais de 30 vezes, tanto no Brasil quanto no exterior. Alemanha, França, Espanha, Moçambique e Uruguai estão na lista dos países que já foram contemplados com a apresentação do espetáculo.
Mais informações

3ª Mostra do Filme Marginal
Até 20/10
Endereço: Funarte MG – Rua Januária, 68 – Belo Horizonte (MG)
A Funarte MG, no Centro de Belo Horizonte, é um dos centros culturais que recebem, de 16 a 20 de outubro, uma exibição de 118 filmes não incluídos nos circuitos da grande indústria audiovisual: a 3ª Mostra do Filme Marginal. O evento reúne obras cinematográficas das mais variadas estéticas e temáticas – que tem, como ponto comum, conteúdos críticos e que estimulam a reflexão sobre questões sociais, como informam os realizadores da Mostra – pela primeira vez na capital mineira, nesta terceira edição. O objetivo da iniciativa é dar visibilidade à produção do cinema independente e a produções ditas “marginais” em relação aos grandes circuitos. Não competitiva, a exposição se caracteriza por disponibilizar os filmes em favelas e periferias. Além da Funarte MG a exibição terá espaço no Galpão Cine Horto (no bairro de mesmo nome), no Centro Cultural Alto Vera Cruz, no Muquifu, museu comunitário no Morro do Papagaio (comunidade na Zona Sul), e no Usina da Cultura, em Ipiranga. A Mostra do Filme Marginal já teve uma edição no Rio de Janeiro, capital, e uma em Salvador (BA).
Mais informações

Elas Festival
Até 20/10
Endereço: Funarte MG – Rua Januária, 68 – Belo Horizonte (MG)
De 18 a 20 de outubro, o “Elas Festival’, que ressalta o protagonismo feminino na cena cultural e incentiva a cultura de equidade de gênero, apresenta shows de Julia Branco, Tamara Franklin e Dolores 602, além de bate-papos, exibição de filmes, mostra de empreendedoras, exposição de fotografias etc. A exibição de filmes e debate com as diretoras ocorrem no Cine Centroequatro, no Centro de Belo Horizonte, enquanto as demais atividades são realizadas na Funarte MG. A entrada é gratuita.
Mais informações

Ópera Il Tabarro
Até 20/10
Endereço: Teatro Plínio Marcos, no Complexo Cultural Funarte Brasília – Eixo
Monumental – Setor de Divulgação Cultural (SDC), lote 2 (entre a Torre de TV e
o Centro de Convenções)– Brasília (DF)
Ópera inédita em
Brasília, Il Tabarro estreia no dia 18 de outubro, sexta-feira, às 20h, no
Teatro Plínio Marcos, no Complexo Cultural da Funarte no Distrito Federal.
Composta em 1918 por Giacomo Puccini, Il Tabarro é considerada uma jóia rara do
verismo italiano, movimento das artes que abordava a realidade nua e crua do
cotidiano, deixando de lado todas as convenções que falsamente encobriam as
questões sociais e os fatos. A curta temporada vai até domingo (20), com
ingressos a preços populares de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Na
sexta e sábado, as sessões são às 20h; e domingo, são duas sessões, às 16h e às
19h.

Para esta
montagem foram convidados para os papéis principais três solistas renomados e
experientes: o barítono de carreira internacional Rodolfo Giuliani, a soprano
Janette Dornellas e o tenor Hélenes Lopes. A regência e a direção musical são
do maestro Ricardo Sousa-Castro, que comanda uma orquestra com 24 músicos
instrumentistas e um coro com 20 vozes. A direção de cena do espetáculo é do
diretor e ator André Amaro. O elenco é complementado ainda por cantores líricos
brasilienses. A ópera é apresentada na língua original, italiano, com projeção
simultânea de legendas.

Originalmente, a ópera se passa no século XIX, numa embarcação no Rio Siena, mas nesta concepção acontece num mundo fictício, com clima árido. Michele, dono de um caminhão de carga, é um cinquentão casado com Giorgetta, que tem metade de sua idade. Ela secretamente tem um caso amoroso com Luigi, um dos carregadores de Michele. O desdobramento desta história passa por relações amorosas, ciúmes, reflexões sobre relações de classe e relações interpessoais, com um desfecho dramático. A produção tem o fomento do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.).
Mais informações

Show ‘Mágicas e Alegrias’
Até 24/10
Endereço: Funarte SP – Alameda Northmann, 1058 – São Paulo (SP)
A Sala Guiomar Novaes recebe o espetáculo Mágicas e Alegrias, realizado pela Associação dos Mágicos de São Paulo. Dirigido por Nicolas Jean Condoyannis, o show conta com a participação de 14 artistas, entre mágicos e palhaços. O ingresso é gratuito. A Associação de Mágicos de São Paulo (AMSP) foi criada em 1955 e, durante 50 anos, foi presidida por Paschoal Ammirati (mágico Frá-Diavolo), que faleceu em 2014. Atualmente, a associação é presidida por Nicolas Jean Condoyannis (mágico King). O objetivo é reunir mágicos profissionais e amadores com o propósito de elevar o nível da arte mágica no Brasil por meio de conferências, encontros e noites festivas.
Mais informações

Espetáculo ‘Conto Que Te Quero Tanto’
Até 27/10
Endereço: Funarte SP – Alameda Northmann, 1058 – São Paulo (SP)
Um burro e uma arara dividem com a plateia seus anseios e medos diante do contato ameaçador com o homem. Essa é a situação proposta pelo espetáculo infantil Conto Que Te Quero Tanto. Márcio Thùrassi e Amilton Ferreira, do grupo T.A.C., vivem as duas personagens no palco da Sala Arquimedes Ribeiro, do Complexo Cultural Funarte SP. As diferenças entre as personagens dão o mote para a abordagem de temas como a tolerância e o respeito. A arara e o burro têm em comum o receio da urbanização e da ameaça humana. A necessidade de um ajudar o outro para a superação desse medo põe em primeiro plano, na peça, valores como a solidariedade e a amizade.
Mais informações

Exposição ‘Muirapiranga’
Até 19/01/2020
Endereço: Funarte SP – Alameda Northmann, 1058 – São Paulo (SP)
A Funarte SP recebe a exposição Muirapiranga, da artista paranaense Elizabeth Titton. A mostra, que permanece em cartaz até 19 de janeiro de 2020 – nas galerias Flávio de Carvalho e Mario Schenberg e no Pátio do Complexo Cultural Funarte SP –, apresenta ao público esculturas de grandes dimensões, em aço corten oxidado. Desde os anos 2000, o trabalho de Elizabeth Titton tem estreitado relações com a indústria, sobretudo a de metalurgia. Ao mesmo tempo, a artista jamais abandonou a observação e as referências a elementos da natureza e de culturas tradicionais, como as pinturas corporais dos indígenas do Xingu. A exposição que agora chega aos espaços de artes visuais da Funarte SP harmoniza esses âmbitos a princípio distantes ou excludentes entre si. Muirapiranga é uma árvore amazônica de madeira avermelhada, semelhante à do pau-brasil. O nome da exposição relaciona essa cor à ferrugem que a artista propositalmente fez cobrir o metal das esculturas.
Mais informações

CASA DE RUI BARBOSA

Mostra
‘130 anos da Proclamação da República’
20/10
Endereço: Fundação Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente 134 – Rio de Janeiro
(RJ)

A mostra de
documentos 130 anos da Proclamação da República, de curadoria dos
servidores do Serviço de Arquivo Histórico e Institucional, é atividade que
integra as ações de educação patrimonial em arquivos da Fundação Casa de Rui
Barbosa. A exposição acontece no Museu Casa de Rui Barbosa, de 10/09 a
20/10, com entrada franca. Com o objetivo de proporcionar ao público
um maior contato com tema e ainda apresentar uma dinâmica das questões mais
imediatas que perpassavam o processo de mudança do sistema político brasileiro,
foram selecionados documentos arquivísticos entre os anos de 1880 a 1891,
referentes aos aspectos do acirramento da crise da Monarquia, da constituição
do novo governo e da divulgação da Proclamação República. No total, a
mostra conta com 20 documentos custodiados pelo Serviço de Arquivo Histórico
Institucional, todos preservados nos seguintes acervos arquivísticos: Arquivo
Rui Barbosa, Arquivo Ubaldino do Amaral, Coleção Família Barbosa de Oliveira e
Coleção Lúcia Sanson. A seleção exposta não esgota as fontes primárias,
referentes a temática existentes no Serviço de Arquivo Histórico e
Institucional da Fundação Casa de Rui Barbosa.
Mais
informações

Expo Bauhaus
Até 20/10
Endereço: Fundação Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente 134 – Rio de Janeiro
(RJ)
O porão do Museu Casa de Rui Barbosa recebe a “EXPO BAUHAUS”
produzida pela Escola Alemã Corcovado. Os visitantes poderão conferir uma
coletânea de trabalhos realizados por alunos da instituição, em comemoração ao
centenário da Bauhaus, uma icônica escola de artes alemã, conhecida por
influenciar e revolucionar o design, a arquitetura e as artes mundialmente. Com
inspiração na famosa frase “menos é mais”, popularizada por Ludwig Mies van der
Rohe, professor da Bauhaus e arquiteto, a “EXPO BAUHAUS” é composta por cinco
obras produzidas por alunas e alunos de 5 a 11 anos de idade da escola. As
artes são coloridas, interativas, lúdicas e fazem uso de elementos primordiais
da estética artística da Bauhaus como formas geométricas e cores primárias e
secundárias. Além disso, foram utilizados materiais sustentáveis como caixas de
papelão usadas, a fim de incentivar o uso consciente de materiais de
reciclagem. A exposição é aberta ao público e estará disponível para
visitação de terça
a sexta-feira, das 10h às 17h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.
Mais
informações

Mostra ‘Um Jardim de Tradições’
Mostra permanente
Endereço: Fundação Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente 134 – Rio de Janeiro
(RJ)
Com uma seleção de
fotos do Arquivo Casa de Rui Barbosa, combinada com imagens dos atuais pequenos
frequentadores, a exposição tem como propósito registrar o espírito lúdico e
receptivo do Jardim Histórico. A museóloga do museu-casa Aparecida Rangel
ressalta que o objetivo é “reafirmar o Jardim como forma de lazer e
acolhimento, desde o século XIX, tempo de seu patrono Rui Barbosa, até os dias
de hoje”. Por isso, a iniciativa é tida pelos organizadores como uma forma de
reverência ao espaço cultural. A mostra temática ocorre no quiosque do Jardim
Casa de Rui Barbosa, localizado na Rua São Clemente, 134, em Botafogo, no Rio
de Janeiro, e está aberta ao público de terça à sexta-feira, das 8h às 18h, e
aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h. A entrada é franca.
Mais
informações

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM)

Exposição ‘Melvin Edwards’
Até 27/10
Endereço: Museu da República – Rua do Catete, 153 – Rio de Janeiro (RJ)
Nascido nos Estados
Unidos em 1937, Melvin Edwards se tornou célebre por suas esculturas abstratas
de metal em aço. Em suas obras, ainda que abstratas, as ferramentas agrícolas
como memória de sua infância no sul dos Estados Unidos estão presentes, além de
correntes que podem remeter, segundo o artista, aos elos de conexão entre as
pessoas. Nesse sentido, a exposição tem como objetivo explorar diferentes vertentes
do trabalho do escultor, criando um leque de raciocínios desenvolvido pelo
artista ao longo dos anos de pesquisa. Reconhecido como pioneiro na arte
contemporânea afro-americana, Melvin Edwards funde engajamento político com
abstração, produzindo objetos densos, fortes e carregados de significados. Sua
obra procura conciliar o interesse na abstração com a satisfação por contar a
história da cultura negra, buscando o diálogo com as lutas históricas e
contemporâneas. A exposição inclui obras de aço, como “Boa sorte, primeiro dia”,
típicas do estilo do artista, mas também aquarelas que dialogam com o peso do
metal.
Mais informações

Exposição ‘Culturas Africanas – arte,
mitos e tradições’
Até 9/11
Endereço: Museu da Abolição – Rua Benfica, 1150 – Recife (PE)
Em forma de
releitura de máscaras, escudos, objetos rituais de uso lúdico e utilitário da
África, a exposição apresenta, também, algumas peças originais de vestuário da
nobreza tradicional africana. A mostra é resultado dos trabalhos realizados por
16 pesquisadores do CAC sobre modelagem em argila. O projeto tem a direção
da professora Suely Cisneiros Muniz, da UFPE, e orientação e curadoria do
professor Paulo Lemos de Carvalho, pesquisador em antropologia da arte
tradicional africana, além dos 16 pesquisadores do CAC.
Mais
informações

Exposição ‘Entre o acervo e o
estúdio’
Até 1/12
Endereço: Museu Nacional de Belas Artes – Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia,
Rio de Janeiro (RJ)
O Museu Nacional de
Belas Artes (MNBA/Ibram) inaugurou a mostra da artista gaúcha, Marilice Corono,
‘Entre o acervo e o estúdio’. De acordo com a artista, a seleção das 32 obras
que integram a exposição foi determinada pelo estudo dos gêneros, pelo caráter
autorreferencial da maior parte das imagens, pela qualidade que apresentam e
por aspectos afetivos e pessoais. Na exposição, algumas pinturas tornaram-se
significativas, como a publicação ‘Iniciação a Pintura’ (1976) de um dos
pioneiros da restauração no país, Edson Motta, professor de teoria, técnica e
conservação da pintura na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) entre
os anos de 1945 e 1980 e autor de livros essenciais para a formação da artista.
Com carreira iniciada na década de 1990, Corono já integrou mostras coletivas
em vários estados do Brasil. Desde 2005, a artista realiza projetos de
exposição que têm como tema o próprio espaço onde as obras são apresentadas.
Além de artista visual, ela é professora de pintura do Instituto de Artes da
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Mais
informações

Exposição ‘Contextos Afro Digitais’
23/3/2020
Endereço: Museu do Açude – Estrada do Açude, 764 – Rio de Janeiro (RJ)
A mostra exibe cerca
de 20 instalações inéditas, em chapas de aço expostas ao ar livre, nos jardins
do museu. São girafas com 3,5m de altura, elefantes e polvos gigantes, além de
outros bichos em exibição no espaço. A mostra também tem o objetivo de
estimular o lúdico nas crianças, que poderão fazer sua própria obra de arte,
reproduzindo um megabicho em papelão. Marcos Scorzelli é carioca, formado em Design
pela PUC Rio e começou a carreira inovando em projetos de arquitetura como
designer de interiores corporativo e de cenografia. Com seu pai, criou a
Scorzelli Arquitetura e Design em 1993 e, ao longo de 23 anos, recebeu vários
prêmios por projetos corporativos desenvolvidos para grandes empresas.
Fotógrafo amador, é apaixonado pelo Rio. Desenvolveu sua linguagem vivenciando
a natureza e explorando todos os cantos da capital fluminense.
Mais
informações

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412


Fonte: Cultura